Blog

Confira as últimas postagens

Como fazer parcerias na fotografia?


Sabemos muito bem que fechar parcerias pode ser extremamente proveitoso para alavancar o nosso alcance e expandir nosso mercado. No entanto, nem sempre é fácil fechar colaborações que sejam vantajosas para todos os envolvidos, não é mesmo? às vezes, o que deveria vir pra somar acaba se tornando uma dor de cabeça sem tamanho. Como já quebrei a cara algumas vezes com algumas relações deste tipo, resolvi elencar algumas dicas de como ambos os lados podem se beneficiar nesta relação. Como trabalho com ensaios femininos, vou focar bastante na parte de parceria na maquiagem pra exemplificar, mas são dicas que podem ser aplicadas pra vários segmentos! Vem comigo!

 

1 – Conheça seu mercado

 

Conhecendo seu mercado, você consegue identificar com muito mais facilidade quais possíveis parceiros você pode abordar. Por exemplo, se você trabalha com ensaios fotográficos, como é meu caso, você pode procurar parcerias na área de maquiagem e cabelo – que agrega muito valor ao serviço! Ou se você faz ensaio Newborn, associar-se a obstetras que podem indicar seu serviço também pode ser interessante, por exemplo.

 

2 – Procure parceiros com as mesmas visões que você

Sabe aquelas relações que aparecem na nossa vida – seja de amizade, de relacionamento ou profissional – que são conflituosas e que simplesmente não encaixam? No âmbito profissional – quando temos escolha, o que é o caso aqui – devemos evitar AO MÁXIMO parcerias que não encaixem com nossos objetivos e planos.

Vamos supor que eu, como fotógrafa de ensaios, deseje fazer algo temático, para portfólio. Veja bem, temático! É algo que é mais difícil de conseguir comercializar, fazer as pessoas pagarem por isso. Se eu quiser elencar esse ensaio a uma maquiagem que tenha a ver com a proposta, pra que fique melhor e mais elaborado, eu irei procurar uma maquiadora que tenha a mesma visão que eu – e não aquela que não se mostre aberta e solícita pra esse tipo de trabalho.

Quero deixar algo muito claro aqui: isso é escolha pessoal! Se um profissional não deseja fazer trabalhos “pro bono”, que isso não vai ao encontro dos objetivos dela, não tem problema algum gente! É uma questão de lógica, e bom convívio. As pessoas tem que estar em sintonia, nem sempre aonde a gente se encaixa é aonde a gente deveria estar, lembre-se sempre! 

3 – Pense sempre na outra parte, mas também não se anule

Parcerias devem sempre ser vantajosas pros dois lados. Por exemplo, se você irá realizar um trabalho gratuito, você pode efetuar a venda avulsa das fotos posteriormente. O ideal, é deixar acordado previamente como seria feita a divisão dos lucros posteriormente. Assim como, a divisão dos custos.

Sou totalmente contra utilizar-se de parcerias pra levar vantagens absurdas em cima do trabalho de outra pessoa. Pra isso, é importante que as partes se posicionem e que haja harmonia e humildade na comunicação.

Mas assim como também devemos pensar na outra parte, não podemos ir além dos nossos limites da mesma forma. É muito comum na nossa área pessoas pedirem parceria por divulgação, sem levar em conta todo o trabalho que há por trás. Posicione-se! Não faça trabalhos que não irão te agregar, ou que vão de encontro a seus valores.

4 – Por último, se uma parceria não der certo, ou acabar, jamais fale mal desse profissional

Uma das coisas que mais me irritam nas redes sociais são perfis profissionais que se utilizam de indiretas ou de agressividade pra dar aquela cutucada em algo que não está do seu agrado. Lembre-se sempre, seu nome é sua marca. E você não quer ser lembrado por ficar de picuinha no Instagram, Facebok, ou similares. Postura é tudo!!

Se algo não está do seu agrado, fale com a pessoa. Quando jogamos uma indireta ao vento, pode atingir até uma pessoa que não tem nada a ver com isso, mas que vai se sentir desconfortável. E, sério, as consequências disso a longo prazo são péssimas. Se uma parceria acabar, tente não levar pro lado pessoal – pois na maioria das vezes não é algo particular.

Falei bastante das redes sociais, mas é importante que sejamos éticos no que diz respeito a falar sobre outros profissionais para seus clientes ou outros colaboradores, na nossa vida offline também. Eu, pessoalmente, não curto ser atendida por alguém que fique denegrindo outra pessoa – isso não te faz ser melhor, apenas vai deixar a outra pessoa em uma posição desagradável. #fikdik